Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Entrevista com o Tuhon Rommel Tortal

Olá Tuhon Rommel Tortal, muito obrigado pela oportunidade! Bem, você pode começar nos contando um pouco sobre você e seu envolvimento com artes marciais?
Bem, eu comecei a treinar Pekiti Tirsia quando eu tinha nova anos de idade, com o meu tio, o Grand Tuhon Leo Gaje. Desde cedo eu recebi um treinamento intenso, um treinamento muito duro. Os anos se passavam e conforme eu me desenvolvia tecnicamente eu acabava por desenvolver também a minha coragem e humildade através desse mesmo treinamento.
O Pekiti Tirsia me ajudou a que eu desenvolvesse a perspectiva que hoje eu tenho sobre a vida.
Até hoje eu continuo treinando com o Grand Tuhon nas Filipinas. Eu o visito regularmente para que eu possa continuar a desenvolver minhas habilidades. Além disso, todo o ano eu viajo diversas vezes ao redor do mundo para propagar Pekiti Tirsia, ensinando civis, militares, forças de segurança, operações especiais e diferentes agenciais. Assim eu acabo por ter a oportunidade de ver diferentes perspectivas de treinamento com armas e facas. Assim eu faço a ponta buscando mostrar para todas essas pessoas que eu entro em contato a parte tática do Pekiti Tirsia.
Hoje eu posso dizer que minhas principais ocupações são: ensinar Pekiti Tirsia para forças militares e atuar como consultor para assuntos técnicos e táticos em diferentes empresas de segurança pelo mundo.
Isso me deixa muito feliz, pois assim eu posso mostrar minha arte e ensinar para cada vez mais e mais pessoas.
 
Você pode nos explicar um pouco sobre o Tri-V?
O Tri V é o processo de ensino mais avançado que temos dentro da metodologia do Pekiti Tirsia, que tem como foco a operacionalizar de maneira funcional o conhecimento obtido pelo nosso aluno. Veja, o Pekiti Tirsia é um sistema principal, que é composto de diferentes sub sistemas como Doce Methodos, Seguidas, Contradas, Contra Tirsia Dubla Doz, Dagaso Tirsia, entre outros. É preciso que o praticante consiga ligar uma coisa a outra, para que haja coereência entre aquilo que é feito com a faca para o que é feito com dois bastões, por exemplo. Assim o Tri-V é a ponte que vai contruir e ligar com coerência todo esse conhecimento de maneira funcional, aplicável e coerente em uma única filosofia.
 


Você pode explicar aos nossos leitores, como o Pekiti Tirsia hoje está organizado em nível internacional?
Hoje a organização principal do Pekiti Tirsia se chama Pekiti Tirsia Kali Global Grand Alliance . Uma organização guarda-chuva que abriga em si diferentes associações para fins especíicos. Por exemplo, o Pekiti Tirsia Tactical Assocation, que é uma associação que busca juntar praticantes de pekiti tirsia que de uma maneira ou outra estejam mais ligados a assuntos militares ou ligados à área de segurança. Além disso temos outros grupos o Pekiti Tirsia Texas Association, Pekiti Tirsia França, Asia Pacific Association entre outras. Todas essas são sub organizações dentro do Global Grand Alliance, que é liderado por mim e composto por outros instrutores seniores do Pekiti Tirsia.
 
Essa é a sua primeira visita ao Rio de Janeiro, correto? Pode nos dizer o que está achando da cidade?
O Rio de Janeiro é um ótimo lugar! As pessoas são amigáveis e eu gostei muito da natureza, do contraste entre a praia e as montanhas e com uma cidade no meio! Você pode em um momento estar na praia e logo em seguida estar fazendo compras, e eu gostei dessa variedade! Ah sim, e a comida aqui também é ótima!
 

E quais são os planos para o futuro do Pekiti Tirsia?
O plano principal do Pekiti Tirsia é propagar, divulgar a arte marcial filipina e assim promover o nosso sistema, compartilhando com todos aqueles que gostam desse tipo de treino que defendemos. Além disso nós estamos focados em reforçar o nosso sistema aqui no Brasil e esperamos um dia termos um instrutor de pekiti tirsia em cada cidade - mas isso com qualidade e respeito. Assim para chegarmos nesse objetivo precisamos de pessoas dedicadas, com bom nível técnico e que realmente estejam engajadas com a filosofia da nossa escola.
 

E qual a sua opinião sobre o trabalho que está sendo realizado no Rio de Janeiro e no litoral paulista pelo Pekiti Tirsia South America/PTTA Brasil e Agalon Mickaël Dolou?
O trabalho do Pekiti Tirsia South America/PTTA Brasil é excelente e eu vejo que Agalon Mickaël Dolou é um grande homem, com um verdadeiro espirito de liderança, grande qualidade técnica, e muita didática! A maneira como ele trabalha com esses rapazes é Intensa e pude ver no seminário que o espirito do Pekiti Tirsia está aqui! Isso é uma das coisas mais importante que eu observo nos locais onde visito, pois se eu vejo que os alunos são bons é por que o professor é bom. Sem sobre de dúvidas o Agalon Mickaël Dolou é um dos Ases do Pekiti Tirsia!

Muito obrigado pela entrevista Tuhon! Você pode deixar algumas palavras para os nossos leitores?
Obrigado a você por essa oportunidade. Eu gosto que as pessoas tenham a oportunidade de ler sobre os princípios e metas do Pekiti Tirsia. Nosso objetivo é promover a arte. Assim deixo aberto o convite para todos que busquem se dedicar e treinar duro para se juntar a nós. Nós ficamos felizes em abraçar todos aqueles que queiram treinar o nosso sistema com seriedade, dedicação e foco, para verdadeiramente mergulhar na arte. Nós somos uma arte marcial que busca criar amigos e que trabalha para evitar politicagens e competições. Gostamos de ter parceiros em diferentes artes, pois assim podemos compartilhar mais e mais a arte marcial filipina e demonstrar a eficienca do nosso Pekiti-Tirsia.




Nota: Mickaël Dolou é o diretor e instrutor chefe da organização Pekiti Tirsia Kali South America e do PTTA Brasil, sob a liderança do Tuhon Rommel Tortal e Tuhon Jared Wihongi. Há dois anos ele foi promovido e recebeu o título de Agalon diretamente do GrandTuhon Leo.T Gaje Jr, como seu aluno direto.

Durante visita Tuhon Rommel Tortal em 2014, foi confiado ao Agalon Mickaël do título Hiligaynon (Ilonggo)  de "Kaliradman" para caracterizar sua prática "intensa e dura, genuína e com intenção e sem reservas". Agalon Mickaël mais tarde esclareceu-nos que era um forte incentivo do Mestre sênior de manter e desenvolvimento do espírito de sua prática e dos ensinamentos de Pekiti-Tirsia enquanto se desenvolviam atributos chave associados à boa conduta moral, bom coração e liderança. Ele também explicou que o objetivo é manter refletindo melhor sobre os ensinamentos recebidos, que são de valor indiscritível,  tal como expresso pelo Tuhon Rommel Tortal, para participar ativamente da delicada missão de preservar e proteger Pekiti-Tirsia em sua forma mais pura indígena.


Nenhum comentário:

Postar um comentário