Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Entrevista com o Datu Shishir Inocalla

1- Olá Datu Shishir! Obrigado por nos conceder essa entrevista! O senhor poderia nos falar um pouco sobre você?

Eu iniciei de maneira informal nas artes marciais aos 8 anos de idade, assistindo e recebendo lições dos meus irmãos mais velhos que eram artistas marciais - Casper, Melvin e Dada.
Meu treinamento oficial começou quando fui apresentado a Rolando Gonzales, um dos pioneiros no ensino de Karate e Judo nas Filipinas. Ainda jovem, vivendo em Camarines Norte, Labo, conheci José Tenório, um amigo de infância, com quem sempre me metia em confusões e brigas de rua. Nós éramos "irmãos de rua"! Alguns anos depois nós nos mudamos para Manila, onde continuei a seguir o caminho da guerra - treinando cada vez mais para lutar cada vez mais nas ruas.
Nessa época meu irmão Casper percebeu que eu precisava de alguma paz em meu coração e assim ele me apresentou a Yoga Ananda Marga. Passei assim a ter uma formação dupla, que unia paz da Yoga com Artes Marciais.
Com o tempo eu senti que minha sintonia com a Yoga aumentava cada vez mais, de maneira que acabei "adotado" pelo meu mestre espiritual. Ele me enviou para a Índia, onde após um longo processo, acabei por me tornar o primeiro filipino a ser aclamado Acarya (professor de yoga) em plenos anos 70.
Os treinamentos de Yoga que tive no mosteiro da Índia, não comportavam a violência, assim precisei encontrar outros meios e horários para retomar meus estudos marciais. Assim, não era incomum que eu precisasse acordar algumas vezes as 3 da manhã apenas para treinar enquanto os demais dormiam.
De qualquer maneira, foi meu treinamento em Yoga e em Artes Marciais que me deram a confiança e o equilíbrio que mantenho até hoje no meu dia a dia.

2- Você poderia nos falar um pouco sobre as artes marciais na sua vida?
Meu pai Vicente Inocalla foi pugilista e atirador, tendo lutados com as forças de guerrilha pela libertação em conjunto com o exército americano. Entre meus irmãos, Casper luta Karate (além de ser fisioculturista), Frank é praticante de JuJiutsu, Melvin de judo, Herbert aprendeu Karate e Arnis e Vivente Jr também treinou Karate (além de ter sido um belo lutador de rua). Alguns dos meus tios também foram guerrilheiros.

3- Em seu livro "orasyon meditation", você escreveu que aos 12 anos você conheceu um monge e se tornou seu discípulo. Como foi essa experiência?
Minha infância foi recheada de lutas e brigas. Quando fui apresentado ao Dada Sumitananda, ele me ensinou a meditar e a viver de maneira saudável. Isso me deu um propósito e me ensinou a entender meu verdadeiro “eu”. Sigo os princípios que ele me ensinou até os dias atuais, aperfeiçoando a mim mesmo, sempre a serviço da humanidade.

4- Como foi que você conheceu o GM Remy Presas? Como você começou a treinar com ele?
De volta as Filipinas eu tive a oportunidade de treinar com os mestres Gonzales e Pepito Robos, que eram estudantes de longa data do GM Remy Presas. EM 1982 viajei aos Estados Unidos para uma competição de artes marciais em Portland, Oregon, e lá tive a oportunidade de conhecer Remy em pessoa. Não demorou e eu me juntei ao seu corpo de alunos do Modern Arnis, onde estou de certa maneira estou até hoje, crescendo e me inovando em seu sistema.

5- Mestre Swiliski da IMAF disse certa vez que você foi o primeiro a receber o título de Datu pelo GM Presas. Qual a importância que você enxerga nesse título e quais as responsabilidade que ele trás para você?
Professor Presas me apontou como "Datu" em 1984, quando me tornei seu braço direito assim como vice-presidente para a IMAP e International Arnis Philippines. Nos anos 90 ele me pediu que o ajudasse na revitalização do Modern Arnis nas Filipinas, me transformando em presidente da sua organização.


6- No passado você se dedicou a escreve livros e a produzir vídeos de FMA. Para você, qual a importância desse material? Você tem planos para novos livros ou vídeos?
Desde os anos que eu venho me dedicando a promoção do Arnis e do FMA, principalmente na forma de livros e vídeos. Após a passagem do Prof. Presas em 2003 eu me mudei para Orlando, onde montei um centro de treinamento de Arnis, Golf e terapias holísticas, ao qual tenho tido de me dedicar. De qualquer maneira, eu pretendendo em breve voltar a produzir novos materiais sobre FMA, inclusive posso adiantar que já estou com o projeto de alguns novos títulos em andamento.

7- Quando e como o Arnis Maharlika nasceu? Você poderia nos dizer um pouco sobre o início da escola?
O Arnis Maharlika nasceu de uma inspiração direta do GM R Presas, que enxergava que o grande problema das artes marciais estava mais na briga pelo "ego" do que na luta em si. Além disso, ele sabia que a espiritualidade era uma parte importante do Arnis, e que no passado o trabalho espiritual teve um papel muito maior no FMA. Enquanto vivo ele já encorajava a ensinar a todos os seus alunos sobre meditação e espiritualidade. Depois, minha família e eu adotamos o nome Arnis Maharlika em honra da liberdade e ao amor pelos filipinos/maharlikans.

8- Faz algum tempo em que você esteve no Brasil. Qual a sua opinão sobre o FMA em nosso país?
O Brasil é país avançado tanto em artes marciais quanto em espiritualidade. Mestre Dada Inocalla vêem propagando o FMA Arnis no Brasil e eu vejo que os brasileiros estão abraçando essa modalidade. Eu sinto que um dia, o Arnis poderá vir a ser uma das artes marciais principais do Brasil.

9- Qual a sua opinião sobre FMA e Defesa Pessoal?
FMA é defesa pessoal, pois foi desenvolvida para a guerra, em um cenário de proteção contra uma invasão estrangeira. Assim é uma modalidade completamente voltada para a luta e para a defesa pessoal. No Arnis Maharlika nós ensinamos aos nossos estudantes a lutarem não apenas com o inimigo externo, mas também com o inimigo interno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário