Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Ensaio sobre o conceito de descoberta e percepção de elementos comuns nas artes marciais

 

Por Felipe de Paulo (BMA - Libre Fighting)

 

A mais recente geração de artistas marciais, talvez até baseado no imediatismo e relações líquidas[1] dos últimos anos com a influência do digital, tem orgulho de dizer que sabe 300 técnicas, tantas delas são únicas ou secretas, um outro fato que influencia isso é justamente a proliferação de sistemas e estilos na década de 70 em diante, o que também aponta uma comercialização das artes marciais, com isso alguns professors alongaram o currículo, aumentando com isso o LTV[2] do cliente…digo, do aluno.

 

Já cheguei a ver artes marciais que se gabam em ter uma centena de opções: defesas específicas para ataques específicos, 90 chutes… A pergunta é você realmente treina tudo isso ao ponto de ter proficiencia?

 

Você até pode dizer que sim, e aí, eu pergunto: - Não valeria a pena, ter menos opções para treinar e com isso obter maestria ao invés de proficiência?

 

Sinceramente, temo mais o boxer com 10 anos de prática, do que alguns sistemas com 200 faixas coloridas e golpes complexos. A simplicidade é o último grau de sofisticação.

 

Esse artigo ou melhor, ensaio, nasce de uma conversa com dois grandes professores meus: L.T e H.D., o primeiro um dos melhores instrutores de Krav Maga que já conheci, o último, bom poderia falar que é raro uma pessoa ser treinado em Karate, diretor regional do Libre e o primeiro Master Guardian do Piper fora da cidade do Cabo, mas prefiro a explicação do Ed Manifesto: H.D. poderia treinar o Batman.

 

Enquanto L.T. me apresentou  o conceito técnico da biologia, H.D. numa das muitas vezes que treinei com ele em Londres, me disse algo que mudou paradigmas: “ - eu não procuro algo novo ou único em uma arte marcial, eu gosto de identificar o que é comum a vários sistemas, ali que reside a verdade”

 

A biologia, em uma das suas classificações sobre evolução diz que a evolução convergente é tão poderosa que as criaturas que começaram como animais completamente diferentes começam a parecer quase a mesma, como é o caso dos crânios do extinto marsupial Thylacine e do lobo cinzento vivo.

 

Existem centenas ou mesmo milhares de exemplos de evolução convergente na natureza. As asas de pterossauros, morcegos e pássaros têm muitas semelhanças na estrutura, embora estejam apenas muito distantes.

 

Portanto, Evolução convergente é o processo no qual organismos que não estão intimamente relacionados desenvolvem independentemente características semelhantes. A evolução convergente cria estruturas análogas ou “homoplasias”, aquelas que têm formas ou funções semelhantes entre espécies divergentes, mas não estavam presentes no ancestral comum das duas.

 

Nada novo sob o sol, Salomão até Eca de Queiroz, falavam isso, não existe muitas diferenças em efetivamente Matar alguém com uma faca num continente e no outro, pois o alvo, no caso o ser humano, não mudou, basta ver como predadores naturalmente buscam a garganta da presa, seja um leão, um jacaré ou até mesmo um tubarão.

 

Gosto muito do desenho abaixo onde diferentes escolas demonstram um princípio comum para defesa de faca.

 

Por isso, vale o exercício, ao invés de buscar somente o óbvio de que jiu-jitsu é bom no chão e deve ser combinado com Muay Thai … Treine o olho pra ver as semelhanças e conexões, com certeza seu jogo vai mudar, afinal, não faz sentido dizer que uma arte marcial em sua origem não possuía determinado golpe, ela se torna específica com o tempo, com a influência esportiva ou fatores externos como clima, alimentação ou até mesmo proibição de acesso às armas.

 

Stay sharp



[1] Zygmunt Bauman, filósofo polonês que se debruçou sobre as conexões pessoais em tempos que levam o indivíduo a associações menos duradouras: “Hoje os relacionamentos escorrem por entre os dedos”, uma de suas frases mais famosas. Além do aspecto pessoal de suas discussões sobre a efemeridade das relações, seus temas se expandem para um painel da sociedade na virada do século, falando sobre globalização, ética e política

 

[2] TV (Lifetime Value ou, traduzindo do inglês, valor do tempo de vida do cliente) é uma métrica de marketing que aponta o valor Gerado pelo client eao longo de sua vida útil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário