Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

quinta-feira, 2 de março de 2017

Entrevista com Bruno Gabriel (Diretor FCS Brasil)


1- Olá! Obrigado por nos conceder esta entrevista. Você pode nos contar um pouco sobre seu começo com artes marciais?
Muito obrigado ao site arte filipina por essa oportunidade. Aos 12 anos comecei praticar Hapkido (arte que permaneci até os 21), em 2006 iniciei meus treinos de Haidong Gumdo, Muay Thai e Jiu-Jitsu. Sempre amei artes marciais, folheava revista e acompanhava muitos filmes na minha infância. Na frente da TV admirava alguns atores da época com Jean-Claude Van Damme, Jackie Chan, Jet Lee entre muitos outros. Aonde eu morava não haviam lugares próximos que ensinassem artes marciais, então com 12 anos eu e meus amigos caminhávamos cerca de 6 km para chegar até o local para o treinamento de Hapkido.


2- Sobre a FMA, como você conheceu esta modalidade? Como você começou e o que despertou seu interesse?
No começo de 2007 os meus professores de Haidong Gumdo organizaram um seminario da escola Sina Tirsia Wali Kali. Fui ao seminário por mera curiosidade, pois não conhecia nada sobre FMA. Para minha surpresa foi amor à primeira vista (risos). Logo depois do seminário iniciei meus treinamentos em FMA com Guro Rodrigo Ramos da Fonseca. Em 2013 eu conheci FCS KALI (Filipino Combat Systems) e no começo de 2014 fui a Argentina treinar com Lakan Guro Carlos Pipo Lopez.





3- O que você pensa sobre a integração do FMA com as demais modalidades marciais?
Sou praticante de outras artes marciais e treino FCS KALI simultaneamente, eu acho incrível as possibilidades que o FMA tem para integrar e interagir com outras modalidades marciais. Mantendo a mente aberta eu enxerguei novos conceitos e possibilidades dentro das artes/sistemas que pratiquei. Pessoalmente eu continuo buscando crescer dentro do FMA e de outras modalidades, sem criticar ou comparar qual é pior ou melhor e sim buscando agregar os melhores conceitos, métodos, técnicas e estratégias de cada uma.


4- Hoje você está à frente da implementação do FCS no Brasil. Como está sendo esse trabalho?
Está sendo incrível poder fazer parte da história da FCS no Brasil. Em São Paulo existem grupos ativos e alunos particulares, assim como no Rio de Janeiro também! E estamos expandindo para outros lugares do Brasil nesse ano de 2017. Estou organizando encontros mensais onde veteranos e iniciantes encontram a oportunidade de conhecer sobre as raízes e conceitos tribais da FCS Kali. Sem dúvida que esses encontros têm ajudado na divulgação e promoção do FMA e do FCS.




5- Quais os planos do FCS para 2017?
Todo ano Lakan Guro Carlos Pipo Lopez (diretor e responsável pela FCS Kali em toda América Latina e Caribe) vem ao Brasil para aplicar exames e ministrar seminário. Nesse ano de 2017 além de trazermos Lakan Guro Carlos nós também esperamos trazer Tuhon Ray Dionaldo.


6- Qual é a sua visão da FMA hoje no mundo?
Alguns anos atrás seria difícil escutar a palavra Kali, Arnis e Eskrima e associar a alguma arte marcial - pelo menos para mim que só conhecia artes como Karate, Kung-fu , Hapkido, Muay Thai etc. A revista Black belt na época falava em alguns artigos e um ou outro filme na TV mostrava. Hoje existem muitos filmes, séries, livros sobre FMA em geral e eles estão ganhando espaço na mídia. Dificilmente vemos um filme/serie onde a coreografia das cenas de luta não tenha Kali hoje em dia.




 
7- Qual a sua opinião sobre a relação entre as FMA e a defesa pessoal?

Na minha humilde opinião FMA é a solução perfeita para defesa pessoal! Pelo vasto arsenal de armas improvisadas ou não, mano y mano e pelo panantukan. Pelo rápido aprendizado e técnicas simples e efetivas em constante evolução se adaptando a nossa realidade.










8- Muito obrigado pelas suas respostas! Gostaria de deixar uma mensagem para os nossos leitores?
Aos leitores que se dediquem qualquer que seja o sistema/arte/método praticado. Que todos continuem crescendo e progredindo como guerreiros sem esquecer suas raízes e conceitos. FMA é para todos! Sejam eles de outras artes ou não, veteranos ou iniciantes. Agradecimento a minha família e amigos, ao site arte filipina e Tales Azevedo pela oportunidade, pelos meus mestres/instrutores e alunos por terem me ensinado e por cada dia eu ainda estar aprendendo com todos. Mabuhay

Nenhum comentário:

Postar um comentário