Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Entrevista com Jonas de Oliveira

Jonas Ludwig de Oliveira é aluno do Arnis Maharlika no Rio Grande do Sul e um dos grandes exemplos que de quando se tem vontade tudo é possível! Amante das artes marciais e frequentador assíduo do Bothan de Gramado, Jonas conversou conosco para contar um pouco da sua experiência com a arte.


1- Olá! Obrigado por nos ceder a essa entrevista. Você poderia nos contar um pouco sobre o seu começo com as artes marciais?
Eu sempre fui um admirador e apaixonado por artes marciais. Meu guru, Djavan de Oliveira é um amigo de longa data, estudamos juntos o ensino fundamental. Tínhamos o mesmo gosto pelas diversas modalidades. Quando me tornei cadeirante essa paixão ficou adormecida, não tinha conhecimento se seria possível praticar alguma arte marcial.


2 - Sobre o FMA, como você conheceu essa modalidade? Como foi o seu início e o que despertou o seu interesse?
O inicio na FMA se deu através de um anuncio que o amigo e guru Djavan fez num jornal local de grande circulação, divulgando a pratica desta arte marcial na cidade. No anuncio ele especificava que qualquer pessoa poderia praticar, inclusive cadeirantes. Achei interessante e contatei ele para conhecer mais sobre a arte marcial,como era desenvolvida e se realmente uma pessoa com limitações poderia fazê-la.

3 - Você acredita que as Artes Marciais (Arnis, Taijiquan, etc) podem ser utilizadas como ferramenta de educação e transformação pessoal?
Sem dúvida que acredito. Sempre percebi como ponto forte nas artes marciais a disciplina, acima de tudo. O respeito ao próximo e ao seu conhecimento na arte. Tenho plena certeza que já é uma ferramenta de educação e transformação.

3 - Você poderia nos contar o tema da acessibilidade funciona no FMA? Quais os grandes desafios? Quais as vantagens ou pontos fortes?
Acessibilidade na FMA funciona como em qualquer outra atividade, seja ela esportiva ou não. O grande desafio é testar suas limitações e adequá-las, assim como acontece para cada pessoa, nenhuma desenvolve exatamente igual à outra. Evidente que técnicas que utilizam-se dos membros inferiores são descartadas, outras estudamos para adequar a essa especificidade, e buscamos fortalecer as demais técnicas com as mãos.

4 - Você poderia nos falar um pouco sobre o seu trabalho com o Arnis Maharlika? Como conheceu o Maharlika?
O trabalho desenvolvido no Arnis Maharlika tem me trazido diversos benefícios. Além do que se propõe a própria arte, de levar conhecimento para que possa defender sua integridade física em tempos de uma sociedade caótica, sem limites e princípios; trazendo benefícios para própria saúde na melhora do condicionamento físico, respiração etc. Conhecimento que obtive do maharlika através de conversas com o guru Djavan e posteriormente com o mestre Alessandro lucas.

5- Sobre FMA e Defesa Pessoal, qual a sua opinião?
Vejo como uma das modalidades mais eficientes nas artes marciais, principalmente se considerar a pratica por pessoas com mobilidade reduzida. Tendo em vista que as mesmas num momento de necessidade não tem como se resguardar do perigo apenas imobilizando seu agressor.

6 - Obrigado pela sua entrevista, você poderia enviar uma mensagem aos nossos leitores?
Aos nossos leitores gostaria de dizer, e principalmente aqueles que ainda não conhecem a Filipino Martial Arts que busquem maior entendimento sobre esta excelente arte marcial. Que proporciona inúmeros benefícios aos praticantes. Partindo fundamentadamente da disciplina e respeito ao próximo. Deixando também um convite as pessoas com necessidade especiais e que gostam de artes marciais para que venham fazer uma aula experimental e conhecer estes benefícios

Nenhum comentário:

Postar um comentário