Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Trechos de Entrevista com Mestre Roberto Laura

Trechos da entrevista com o mestre Roberto Laura publicada pelo site fightingsticks.

Por que as pessoas treinam mais os sistemas de combate asiáticos do que os europeus?

Em parte pelo fato de na Europa escolas de combate estarem divididas entre aquelas ligadas ao submundo do crime e os sistemas familiares puros. Nunca houve o interesse em disponibilizar o sistema para o público. Este segredo ocorria pelo fato de não haver proibição para o porte de armas, tanto que na Itália até o século XIX era comum o porte em público

O que você acha que as escolas de combate tradicional italiana tem a oferecer aos artistas marciais de 2011 [data da entrevista]?

O que exatamente os artistas marciais buscam hoje? Nossas escolas oferece um sistema complexo de mecânica corporal, precisão e eficiência. Ela oferece a experiência de 7 Séculos de duelos com espada e bastões; experiências que foram pagos com sangue, suor e às vezes até mesmo vidas de seus praticantes.

Como você passou a conhecer e a se dedicar a essas escolas? Quais são os sistemas que você pratica?

Na verdade foi por uma coincidência. Um médico amigo de Roma tinha aprendeu alguma coisa com um professor de história das artes que ele conheceu durante um simpósio. Esse meu amigo sabia do meu interesse por lâminas e me forneceu o endereço desse professor. Isso aconteceu em 2002. Desde então eu passei a me dedicar à escola italiana. Depois de passar por vários sistemas de italianos, eu passei a me dedicar mais a um sistema da região do norte da Puglia. Este sistema é chamado de Cavalieri d'Umilta, os Cavaleiros de humildade. Além disso ministro treinos de um sistema de bastão genovês.

...

Os métodos de treinamento e ensino são parecidos com o sistemas filipinos/indonésios?

É semelhante na transposição das lâminas para as técnicas de mãos vazias, ao menos nas escolas meridionais. Existem golpes, cortes, graus como em qualquer outra escola de combate. Já com relação a tática, método de ensino, distância de combate ideal as escolas são bastante diferentes.

Lutamos com uma faca principalmente na largura e na distância média, enquanto as escolas das Filipinas trabalham com um combate mais próximo. Além disso, não há treinos de fluidez ou algo semelhante em nossas escolas. Trabalhamos indo diretamente ao ponto. (...)




Nenhum comentário:

Postar um comentário