Notícias sobre Arnis - Kali - Eskrima no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

21:52

Entrevista com Guro Leonardo Pereira

Olá pessoal. Hoje o nosso entrevistado é o Guro Leonardo Pereira, líder do Guba Doce Pares para América Latina, que estará no Brasil em 2014 para um seminário de 3 dias em São Paulo. Nessa entrevista ele conta um pouco sobre sua trajetória, sua escola e seus planos para o Brasil. Pela proximidade do idioma, optamos por manter a entrevista em espanhol.

1- Olá guro Leonardo, obrigado por aceitar o nosso convite para uma entrevista. Você poderia começar falando sobre você e seu começo nas artes marciais?
Muchas gracias a ustedes por hacerme esta nota .Yo comencé la practica de las Artes Marciales a los 10 años . Taekwon-do Tradicional ITF y algo de Boxeo , fui uno de los tres primeros cintos negros en mi ciudad,Gdor Virasoro Corrientes y a los 18 años viajo a Buenos Aires donde comienzo a practicar deportes de contacto Full Contact , Kick y Muay Thai.

2- Você é representante do GM Danny Guba. Você poderia nos falar um pouco sobre o Guba Doce Pares International?

En 1996 el Gran Maestro Danny Guba decidió abandonar las Filipinas y se trasladó a Gran Bretaña donde ahora vive en la ciudad de Londres, donde comenzó a promover Doce Pares Eskrima. GM Danny Guba enseña el sistema de Doce Pares originales Multi-Style sistema Eskrima-Kali-Arnis con sus conocimientos y enseñanzas de los maestros originales y su propia evolución, por lo tanto su 'estilo' de Guba Doce Pares internacional está siendo. RECONOCIDO EN TODO EL MUNDO


EN 2012 GM DANNY GUBA , FUE GALARDONADO CON EL TÍTULO DE SUPREM GRAND MASTER , POR EL CONSEJO DE GRANDES MAESTROS EN CEBÚ, FILIPINAS. EL ES UNO ,DE SÓLO TRES S.G.M PARA SOSTENER ESTE TÍTULO DEL CLAN DOCE PARES LOS GRANDES MAESTROS SUPREMOS SON : CACOY CAÑETE , DIONY CAÑETE Y EL NUEVO S.G.M DANNY GUBA
DESDE ESA FECHA , GUBA DOCE PARES EUROPA PASA A LLAMARSE GUBA DOCE PARES INTERNACIONAL , AVALADOS POR CASA CENTRAL EN CEBU FILIPINAS

3- Sobre o trabalho na América do Sul, você poderia nos contar um pouco?
Mi trabajo es difundir el sistema del S.G.M Guba en todo Sudamérica , para ello cuento con su total apoyo y del consejo Internacional de nuestra Organización , el programa esta dividido en .Básico Instructor nivel 1 , Intermedio Instructor nivel 2 y Avanzado Instructor nivel 3 , para luego graduarlos de Guro Instructores internacionales.

4- Além do FMA, você é mestre em outras modalidades marciais. Poderia nos contar um pouco sobre elas?

Soy maestro 7 Dan de Kick boxing y 6to dan de Taekwon-do Tradicional ITTAF .Hace 10 años que estoy en Israel y entreno KAPAP y KRAV MAGA de los cuales soy Instructor Internacional en I.K.A. De GM. Moshe Galisko también entrene BJJ. y Vale Tudo con Mario y Fredy Sukata , lo que hago en realidad es enseñar defensa personal , pero con el entrenamiento de Kick y técnicas de piso adaptadas a la defensa personal y claro esgrima.

5- No próximo ano você estará no Brasil realizando um seminário no estado de São Paulo. Pode nos contar um pouco sobre esse evento?
La idea es formar Instructores del sistema Guba Doce Pares , para poder difundirlo en el país de forma mas rápida , estaré 3 días de seminario de 6 horas por día , donde les enseñare el programa básico los 3 primeros cinturones y claro técnicas avanzadas para que tengan material como desarmes trabas y mano mano ,un poco de defensa personal real, también estaré dando un seminario de defensa personal Israelí ,abierto a todos los estilos. .

6- E para os próximos anos? Quais os planos para o trabalho com o Doce Pares no Brasil?

Los planes tanto para Brasil como Sudamérica es formar Instructores capacitados y trabajar de forma seria y responsable con un aval internacional y poder armar campeonatos nacionales y sudamericanos e inclusive participar de los mundiales de eskrima y llevar mas adelante cuando tengamos una base fuerte Maestros de nuestro sistema para dar seminarios y fortalecer nuestra organización en Sudamérica.

7- Qual a sua opinião entre FMA e Defesa Pessoal? E com Krav Maga? É possível ambas artes caminharem juntas?

Yo creo que si, tanto los sistemas Filipinos como los Israelíes buscan la efectividad de sus técnicas y complementarlos es muy bueno, para la defensa personal real , seria como hacer Jiu-Jitsu y Muay Thai. pero es importante como lo haces yo en lo personal creo que siempre a un sistema le falta algo que otros tienen

8- Qual a sua opinião sobe o cenário hoje do FMA na América do Sul?
En lo personal las Artes Marciales Filipinas , es muy fuerte a nivel Internacional y ahora con Internet , Factbook y toda la tecnología llega mas rápido a todo el mundo y Sudamérica no es ajena a estos adelantos y créese a pasos agigantados tendríamos que hacerlo de forma responsable y creo que Sudamérica puede ser potencia mundial en las artes marciales filipinas como en otras artes marciales.

9- Muito obrigado pelas suas respostas! Gostaria de deixar alguma mensagem para os nossos leitores?

Simplemente que sigan practicando ,no importa que estilo lo bueno es que lo hagan , para mi las artes marciales son mi vida amo las artes marciales filipinas y si alguien tiene interés en unirse a nuestra familia de Guba Doce Pares será bienvenido , desde ya muchas gracias y hasta la próxima saludos a todos los Eskrimadores de Brasil y espero Verlos un abrazo grande desde Israel

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

09:01

Lançamento de “Não Seja Mais uma Vítima”

 A obra “Não Seja Mais uma Vítima”, produzida pela Bueno Editora e escrita por Ricardo Nakayama e José Roberto Romeiro Abrahão, explica quais são os perigos da cultura do medo e como o cidadão pode enfrentar a violência urbana, a partir do método de defesa pessoal Sotai.

O sistema, criado pelos autores, ensina como o cidadão pode reverter uma situação de risco, com informações específicas para alguns segmentos da sociedade, como mulheres, crianças, idosos, pessoas com deficiência e vítimas do preconceito e da intolerância.



A publicação, além de abordar a parte teórica, traz também vários estudos de casos, leis e ilustrações. Com linguagem objetiva, isto é, de fácil entendimento, explora os dilemas da questão, entre eles, a banalização da violência.


De acordo com Ricardo Nakayama, com experiência consolidada em várias artes marciais e já concedeu treinamentos para diversos setores da segurança pública e privada, o livro não tem como propósito apenas ensinar a reagir, mas principalmente a prevenir.



Para o artista marcial e advogado criminalista José Roberto Romeiro Abrahão, é necessário que a população se conscientize e adote novas medidas no cotidiano.


“Não seja mais uma vítima” tem a colaboração de diversas personalidades, como o jurista Ives Gandra da Silva Martins e os instrutores de defesa pessoal Robson Maciel, Marco César Scavone e Alexandre Chiavone de Araújo Cruz.



terça-feira, 29 de janeiro de 2013

01:28

Entrevista com Guro Hernán Seivane


1- Olá! Obrigado por nos ceder a essa entrevista. Você poderia nos contar um pouco sobre o seu começo com as artes marciais?
Eu comecei aos 14 anos treinando Karate-Do. Depois continuei com KuoShu e Kick Boxing. Treinando KuoShu como o mestre Jorge Benitez (qur atualmente mora na Espanha), aprendi a lutar com dois bastões. Como ele me ensinava também Kick Boxing, eu lhe falei que seria ótimo uma arte marcial que misturasse Kick Boxing e a luta com bastões. Isso que eu gostava era o Stick Fighting. Nessa época eu não sabia que fazia muito tempo que essa arte existia.

2- Sobre o FMA, como você conheceu essa modalidade? Como foi o seu início e o que despertou o seu interesse?
Treinando Kick Boxing, vi uma aula de Kali Filipino, então comecei a treiná-lo. Eu sempre continuei treinando só com os bastões e era uma boa forma de aprender uma arte marcial especifica de armas.


3- Você poderia falar um pouco sobre as escolas de FMA que você praticou?
Eu treinei na Escola Katipunan, e hoje treino com Guro Nicolas Wachsman que o representante de Pekiti Tirsia e dos Dog Borthers na Argentina (Ele foi membro da Katipunan) e como o Mestre Gustavo Pintos (Também foi membro da Katipunan). Fiz treinos com outras escolas mais não encontrei o que estava procurando, que era o Stick Fighting. Trenei  Stick Fighting com o Guro da Garimot, Yuri Jiménez, mais ele mora na Venezuela. Nessa época procurei um programa de Stick Fighting, e o Mestre Burton Richardson, tinha o que eu estava procurando.  Então treine o sistema, e achei que com autodisciplina e possível fazer um treino a distancia e ter alto nível.
O Dog Brother, Benjamin “Lonely Dog” Rittiner, também aprendeu Stick Fighting da mesma maneira.

4- Hoje você trabalha com o projeto Eskrima Kombat, você poderia falar a respeito?
A ideia é fazer torneios, para dar a conhecer o que é a luta com bastões e facas. Temos um ranking que dá um campeão cada dois anos. Queremos que a disciplina seja conhecida por todos os praticantes de artes marciais, já que o Stick Fighting e Knife Fighting são um complemento para qualquer arte marcial.

5- Como e qual o trabalho que você faz com seus atletas, para deixá-los preparados para as lutas do Eskrima Kombat?
Sparring. Essa a palavra. A ideia e trabalhar na potencia com técnica e depois ter muitos rounds de luta. O treino inclui luta com bastões, facas e treino de MMA (Com socos, cotoveladas, joelhadas, chutes, lances e chão).

6- E sobre a relação entre as artes marciais e a questão da defesa pessoal? O que você pensa a respeito?
O que nos fazemos e 100% defesa pessoal. A diferença é que treinamos com resistência. O parceiro não ajuda na técnica, e simula como se fosse a atacá-lo de verdade. Isso faz que melhore muito a psicologia e reflexos da pessoa para a defesa pessoal na rua.

7- Qual o cenário que hoje você enxerga, dentre os praticantes de FMA na Argentina?
Penso que as artes marciais filipinas (FMA) não vão ter como explodir. Vão continuar sendo para um grupo reduzido de pessoas, mas o Stick Fighting sem duvidas será muito mais conhecido e derá estourar, já que é um bom complemento para todas as artes marciais.
É importante assinalar que o Stick Fighting é muito mais reduzido do que são as artes marciais filipinas, e em pouco tempo é possível ter um bom nível sem deixar de praticar a arte marcial habitual.

8- Muito obrigado pela entrevista! Você gostaria de deixar alguma mensagem para os nossos leitores?
Que sempre continuem treinando, para ter melhor saúde e estarem prontos no caso de acontecer uma situação de defesa pessoal.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

14:30

Entrevista com Ron Kosakowski

Infelizmente não conseguimos disponibilizar a legenda em português. De qualquer maneira, para aqueles que possuem facilidade com a língua inglesa, vale a pena assistir a esse entrevista com o guro Ron Kosakowski, do Traditional Filipino Weapons.