Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Entrevista com o Guro Waldevir Junior


1- Olá! Obrigado por nos ceder a essa entrevista. Você poderia nos contar um pouco sobre o seu começo com as artes marciais? 

Bom comecei bem cedo, pratiquei diversas escolas de artes marcias.Full Contact, Kick Boxing, Muay Thai, Jiu Jitsu, Luta Livre, Aikido. Me graduando em diversas delas.Fiz um Mixed Martial Arts, vamos dizer assim.

2- Sobre o FMA, como você conheceu essa modalidade? Como foi o seu início e o que despertou o seu interesse?


 Na realidade, conheci FMA, através do filme Caçado(The Hunted), fiquei impressionado com as técnicas do filme. Comecei a pesquisar e descobri que as técnicas do filme eram baseadas nas Artes Marciais Filipinas.

3- Sobre o Dekiti Tirsia, como aconteceu a aproximação com essa escola. 


A aproximação aconteceu devido ao meu interesse em obter conhecimento vindo direto da fonte. Direto das Filipinas. Saber como era o DTS Kali na sua origem. Tudo aquilo que tinha pesquisado na internet. Conhecer um membro da família Tortal. Treinar, me formar da maneira tradicional. Conhecer os seus costumes, conhecer a sua tão famosa história de combate. 
 
4- Você esteve nas Filipinas recentemente treinando com o GM Jerson Tortal Jr. Você poderia nos falar um pouco sobre essa experiência? 

Bom, foi uma experiência única onde pude estar diretamente com um membro da familia Tortal, treinando o sistema indígena filipino e obtendo conhecimento diretamente da fonte. O treinamento de kali nas Filipinas é algo que só quem foi pode dizer. A sua cultura, onde tudo começou, é algo fenomenal! Estar de frente com o GM Jerson Tortal Jr., conhecendo a história da família, os tesouros do sistema DTS.

Foi um treinamento totalmente da maneira tradicional, como o seu pai GrandTuhon Nene Tortal lhe ensinou. Muito duro, muito eficaz. Me formou da maneira tradicional para que eu voltasse para o Brasil como um guerreiro Filipino. Encontrei aquilo que estava procurando.Trazendo para o nosso Brasil, conhecimento e muita experiência. 

5- Você considera a experiência de treinar nas Filipinas como um passo importante para o praticante de FMA?

 Não há dúvida disso, treinar Kali nas Filipinas, é algo que todo praticante de FMA, deveria investir nisso. Pelo menos uma vez na sua vida. Conhecendo assim, o Mestre e o berço da sua arte. 
 
6- Qual a sua visão do FMA hoje aqui no Brasil? 

O Brasil está crescendo no FMA e temos que fortalecer cada vez mais a cena,com qualidade e seriedade. Aqui no nosso país é uma modalidade muito nova ainda, quando comparado com outros países. Temos que divulgar mais FMA no Brasil. Precisamos unir todas as nossas forças e fazer um maior trabalho de divulgação. Sinto que as vezes, é algo muito fechado. Não podemos ter essa visão. 

7- Sobre o futuro, quais os planos para o Dekiti Tirsia aqui no Brasil? 

O futuro do DTS no Brasil é muito promissor. Foi confiado a mim ser responsável pelo sistema aqui no Brasil. Tenho muitos projetos. Quero honrar o FMA, aqui no Brasil. Nação brasileira, podem aguardar, que vocês terão novidades! 

8- Qual a sua opinião sobre a relação entre o FMA e defesa pessoal? 

Na minha visão o FMA e defesa pessoal andam juntas. As técnicas de FMA, são aplicáveis a defesa pessoal. Seja para um ataque em pé, no chão, com armas ou sem, o FMA proporciona a pessoa que esta sendo atacada uma maior segurança de tempo de resposta para sobreviver a uma situação de crise.  

9- Muito obrigado por suas respostas! Gostaria de deixar uma mensagem para os nossos leitores?

Fico muito grato pelo convite, e parabéns por esse canal de informações. 

Aos leitores do arte filipina, gostaria de incentivar vocês a se aprofundarem, mais no conhecimento das artes marciais filipinas, se informarem mais sobre suas escolas, seus instrutores.Dediquem um tempo maior nos seus treinamentos. Invistam em vocês, procurem escolas sérias. Venham conhecer DTS Kali, lendário sistema da família indígena filipina,entrem em contato dtskalibrasil@hotmail.com

 Um grande abraço a todos e tomem cuidado!

Um comentário:

  1. Legal encontrar um Waldevir que é o mesmo nome meu. Tenho 65 anos e não sei onde minha mãe se inspirou para colocar este nome em mim.
    Se for possível gostaria de um contato com o Jr, pois deve existir outro Waldevir (seu pai) e estou curioso para saber de onde veio o nome deles (pai e Jr.).
    Moro na zona leste de São Paulo (São Mateus - desde 1974 quando me casei) e nasci no Bairro da Água Rasa de onde tenho um site desde 2005 que conta a história do bairro e do futebol varzeano desde os anos 20 até atualmente (www.boleirosdaaguarasa.com).
    Meus e-mails de contato: waldevir@gmail.com e boleirosdaaguarasa@gmail.com

    ResponderExcluir