Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

sábado, 23 de junho de 2012

Dog Brothers Europa: Entrevista com Benjamin Rittiner

Está disponível no site grego dos Dog Brothers uma entrevista com o guro Benjamin Rittiner, um dos grandes nomes dos Dog Brothers na Europa.





"Como foi seu primeiro contato com as artes marciais?
Meu primeiro contato com as artes marciais foi na escola quando eu tinha cerca de 8 anos de idade. Tínhamos um projeto para fazer um filme curto e alguns dos garotos mais velhos tiveram a idéia de fazer um filme de Kung Fu. Infelizmente eu era um dos mais jovens e meu papel era apenas aguardar os mais velhos virem nos resgatar. Isso foi quando eu vi pela primeira vez uma shuriken ninja.
Quando eu tinha cerca de dez anos de idade eu ganhei meu primeiro Nunchaku e brinquei um pouco com ele bastante até que eu comecei meu treinamento formal em 1984 com o Karatê. Depois migrei para outros estilos, mas me mantendo fiel as artes japonesas até 1994.
Nos anos seguintes, o meu foco principal tornou-se os estilos de contacto completos de combate como o boxe, boxe tailandês e Sanda. Acima de tudo me senti confortável como um boxeador e participei de uma variedade de torneios de boxe como um pugilista amador.


Como você começou a entrar em contacto com FMA e com os Dog Brothers?

Em algum momento entre 1992 e 1993, enquanto eu estava assistindo um Seminário de Tai Kai em Luxemburgo o meu professor tinha um amigo que treinou na Inosanto, por isso fomos para sua academia treinar alguns princípios básicos. Dessa maneira eu me interessei pelo Kali e decidi que iria continuar a trinar FMA, mas não foi fácil encontrar um professor próximo de mim na Suíça naquele tempo. Eu comecei colecionando diversos vídeos de instrução sobre FMA para assim aprender. Foi então em 1994 que eu comprei a série "Dog Brothers Real Contact Stick Fighting" e de imediato pensei "Isso é legal! Eu quero isso". Assim percebi que essa era a direção que precisava seguir. Dessa maneira eu comecei a treinar com alguns amigos por cerca de 4 anos com esses vídeos.



Então, isso foi antes de você ter algum contato direto com DBMA ou Marc "Crafty Dog" Denny?

Exatamente! Até 1998 eu havia treinado apenas com os vídeos. Eu devo ter assistido as fitas dezenas de vezes, procurando a perfeição de cada movimento, de modo que as fitas em determinado momento se desgastaram! Nesse momento estava claro para mim que eu precisava ir até os Estados Unidos para aprender diretamente da fonte. Assim eu escrevi para os Dog Brothers em Hermosa Beach na California. Mark Denny respondeu a minha carta e me convidou a ir até lá. Alguns meses depois eu me vi chegando na Califórnia.



Como foi o treino? Muito diferente do que você vinha fazendo?

Foi muito interessante, primeiro Marc me pediu para fazer alguns Carenza (shadow boxing com os bastões). Ele comentou que eu me movia muito bem, e então me perguntou quem era meu professor. Eu respondi "meu professor é meu videocassete!"; Durante os 5 dias PTP nós cobrimos diversos assuntos e ele se impressionava com a velocidade com que eu absorvia a informação. Justamente no quinto dia ele me mostrou algo realmente difícil, que eu não consegui fazer em um primeiro momento. No final das contas ele ficou surpreso em ver como alguém podia aprender tanto apenas por vídeos.
De qualquer maneira eu desde então cada treino com o Guro Crafty vem aumentando em muito o meu entendimento do combate com bastões. No começo eu havia desenvolvido um "vício" terrível de combate de mover braços e pernas de maneira previsível. Ele [Guro Crafty] me ensinou a superar isso, usando diferentes combinações de braços e pernas. Esse conhecimento sobre triangulação me ajudou a ganhar maior vantagem durante os combates e a deixar meu kali mais vivo. Essa foi uma lição muito importante para mim.
Outro conhecimento muito importante que recebi durante todos esses anos de treinamento com Guro Crafty foi o entendimento de como entender diferentes sistemas de combate e como analisar meus oponentes através dessa compreensão.
(...)"


Para conferir a entrevista na íntegra (em inglês) clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário