Notícias sobre Filipino Martial Arts no Brasil e no Mundo

Post Top Ad

sábado, 15 de outubro de 2011

Entrevista com Shifu Hudson Willian

1- Olá mestre Hudson, obrigado por aceitar o nosso convite para uma entrevista. Você poderia começar falando sobre você e seu começo nas artes marciais?

Iniciei minha pratica nas artes marciais no Judô, mas considero mesmo o ano de 1989 quando iniciei no Kung Fu o qual sigo até hoje e que é a base de todo meu conhecimento e de minha busca. Percorri alguns caminhos na seara das artes marciais no intuito de saciar minhas curiosidades na busca do conhecimento da luta e da filosofia oriental. Obtive um pouco de conhecimento sobre karate, taekwondo e alguns estilos de kung fu, porem, minha maior busca sempre foi no sistema Wing Chun.

2- Hoje você é representante do mestre Li Hon Ki no Brasil. Como foi que vocês se conheceram e como foi o início do seu treinamento?Na verdade sempre acompanhei o trabalho de meu Shifu Li Hon Ki pelas revistas, uma vez que mesmo tendo nascido em São Paulo, com apenas 4 anos fui morar no interior do Estado, na cidade de Bauru. Desta forma, com a idade de 16 anos tive a primeira oportunidade de iniciar meus treinamentos sobre os auspícios do Mestre Li hon Ki, em sua academia no bairro da Liberdade em São Paulo.
Com o tempo, na relação Mestre discípulo, invariavelmente somos levados a seguir os passos daqueles que nos guiam, desta forma, tomei conhecimento que dentre os estilos treinados pelo meu Shifu, um deles era o Arnis de Mano.
Esta relação entre Wing Chun e Arnis se iniciou com o relacionamento entre Don Inosanto e Bruce Lee, trazendo uma maior popularidade ao estilo filipino que comunga em muito com os princípios de Wing Chun, razão pela qual, até hoje os praticantes acabam se aproximando de uma arte através da outra.

3- Como você enxerga a relação entre Wing Chun com o Sanshou?Na verdade enxergo ambos com objetivos diferentes, não os comparando, mas sim como eles se encaixam em minha busca pessoal. Desta forma, busco no sanshou (sanda) as características inerentes ao esporte de luta e suas limitações, a parte esportiva da "arte marcial" já que o Wing Chun não me proporciona isto. Quando me refiro à parte esportiva estou me referindo principalmente ao quesito luta, onde encontramos uma serie de regras e ordenamentos que inexistem no Wing Chun, o que faz com que o sistema Wing Chun seja muito direto visando o confronto real - onde se aplicarmos corretamente as técnicas fica difícil lutar sem que haja o risco de graves lesões contra seu oponente. Assim uso ambos os estilos para saciar minha busca e realização no âmbito marcial.

4- O nosso blog é sobre FMA, assim, você poderia falar um pouco sobre a relação do Arnis com o mestre Li Hon Ki?Como anteriormente citado, despertei o interesse pelo Arnis por inspiração de meu Shifu. Acreditando que ele sempre buscou sistemas eficazes e partindo da premissa que "conhecimento não ocupa espaço”, comecei a perguntar sobre o sistema e em pouco tempo de conversa já estava muito ansioso para sentir na pratica toda sua aplicabilidade.
Incentivei alguns alunos de meu Kwoon a conhecerem o sistema apos algumas aulas particulares com o Mestre Li Hon Ki e assim, montamos um grupo de treinamento intensivo e regular, passando a trazer meu Shifu a minha cidade mês a mês no intuito de aprender esta arte marcial singular.
Não demorou a que procura aumentasse cada vez maios pelo sistema e rapidamente a paixão contaminou a todos.
Desta forma, quando viajei a treinamento com o Mestre Li Hon Ki para a China, manifestei meu interesse em passar pelas Filipinas, na busca de conhecer mais sobre Arnis e as linhagens existentes no berço da arte. Tendo a aprovação dele, estamos planejando uma viagem que englobara em seu roteiro alem da China, também as Filipinas.

5- Como que foi aprender Wing Chun, Sanshou e Arnis? Qual a relação que você enxerga entre essas artes?Como lhe falei, cada arte tem sua magia e dentro do meu ponto de vista, cada uma tem um enfoque especial. Posso definir esta trilogia marcial em minha vida da seguinte maneira: Wing Chun - Sistema que me leva ao cume da defesa pessoal real de mãos livres, onde me sinto confortável e confiante no resultado rápido e satisfatório dos treinamentos.  Sanshou - É o aspecto esportivo da minha vida marcial, o ponto que converge a pratica voltada ao hobby das artes marciais, ou seja, é um meio onde posso liberar as técnicas sem colocar em alto risco meu oponente, pelo simples fato de respeitar as regras existentes, as quais foram criadas para preservar a integridade física dos oponentes.  Arnis - é o ponto crucial da defesa pessoal realista com armas, pois seu desenvolvimento marcial no âmbito da defesa pessoal é espetacular, e creio que contra um oponente, mesmo  que este tenha conhecimento em artes marciais e estando desarmado, defrontando se com um lutador de Arnis terá poucas chances de se sair bem, para não dizer nenhuma. Desta forma entendo que cada sistema que treino me respalda e me satisfaça em um aspecto de minha busca marcial.

6- Qual a sua opinião sobe o cenário hoje do FMA (Arnis, Kali, Escrima), no Brasil?Acredito que pela falta de divulgação, o FMA se encontre muito atrasado em relação a outras artes marciais. A maioria da população nunca ouviu falar e os clãs de FMA ainda são muito reservados.
Acredito que este quadro só mudaria com atitudes globalizadas em união para a propagação e divulgação dos sistemas, sem buscar exaltar o ego de ninguém, mas pelo puro desejo de trazer ao grande publico amante das artes marciais esta perola Filipina que já se encontra ha anos em nosso meio.

7- Muitas pessoas ingressam em uma escola de artes marciais pensando em defesa pessoal. Qual sua opinião sobre?Eu ainda acho que é uma boa busca. Levando em consideração que encaro o termo "defesa pessoal" de forma bastante amplo, abrangendo até mesmo o âmbito psicológico da pessoa. Assim as artes marciais ainda tem um papel importante na lapidação dos guerreiros modernos, na busca de alicerçar a construção  de vencedores, aumentando a auto-estima, criando auto-suficiência e fortalecimento de caráter e espírito.
Acredito que se a pratica fosse mais popular como era na década de 80, 90, poderíamos estar com um importante mecanismo de batalha contra as drogas, criminalidade e outros problemas que assolam nossa sociedade.
8- Muito obrigado pelas suas respostas! Gostaria de deixar alguma mensagem para os nossos leitores?Eu agradeço a oportunidade de participar deste maravilhoso trabalho sobre a FMA e deixo o convite para que praticantes de artes marciais seja ela qual for, bem como não praticantes experimentem para ver o que as artes marciais filipinas têm para oferecer. Acredito que eles descobrirão um universo maravilhoso e totalmente novo dos sistemas marciais convencionais. Convido também os leitos a conhecerem meu site onde trago assuntos relacionados a artes marciais e filosofia oriental em geral: 
www.hudsonwillian.com.br
 Saúde e Paz a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário